Os tipos de azeite

azeitonaO óleo extraído do fruto das oliveiras é parte da nossa história há mais de 6000 anos; nessa época os mesopotâmeos já o usavam para untar o corpo a ajudar a protegê-los do frio.
O azeite de oliva é um tipo de óleo produzido única e exclusivamente a partir de azeitonas. O nome “azeite de oliva” não pode ser utilizado nas misturas de azeite com outros óleos (esses são chamados de óleos compostos).
Os principais tipos de azeite de oliva são:
Azeite extra-virgem: Após uma única prensagem a frio da azeitona, obtém-se o azeite extra-virgem. Por esse motivo, ele é o mais puro e sua acidez é de no máximo 1% (os melhores estão entre 0,4 e 0,5%). Após a prensagem, ele é apenas filtrado, conservando um sabor acentuado. Seu consumo é recomendado cru, em saladas, queijos, pães ou em receitas que não necessitem ir ao fogo.
Azeite virgem: É extraído na segunda ou terceira prensagem da azeitona. Sua acidez pode ser de até 2% e o seu sabor é menos acentuado em relação ao extra-virgem e um pouco mais adocicado. É indicado para os processos de cocção no fogo.
Azeite refinado: Adquirido em outras prensagens ou com azeitonas que não obedeçam necessariamente às mesmas exigências dos azeites extra-virgem e virgem, esse tipo passa por processos de descoloração, desodorização e neutralização. É mais utilizado em frituras.
Azeite puro: É uma mistura entre os azeites refinado e virgem. Como são menos concentrados, o sabor é suave e o seu preço muito menor do que os demais.
Todos os óleos vegetais prensados a frio, incluindo o azeite de oliva extra-virgem, possuem a imensa vantagem para a nossa saúde, de não terem sido extraídos às custas da aplicação de alta temperatura, alta pressão e solventes químicos. Alta temperatura e pressão provocam a oxidação da delicada estrutura química dos óleos vegetais o que faz com que percam as suas qualidades nutricionais.

Por Ronaldo Rossi

Share

36 respostas a Os tipos de azeite

  • Anna disse:

    Eu comprei um chamado :Azeite de Oliva extra virgem VISTALBA ac.0,2% gr – suave quase eu não sinto
    e o outro PAGANINI -Azeite de oliva extra virgem -acidez max 0,8 – este parece mais grosso.
    Então o que for menos de 0,5 são mais gostosos para fazer um macarão com azeite aromatizado e por na salada ou seria questão de mais fraco e mais forte?
    Eles são diferentes não?

  • Ronaldo Rossi disse:

    De uma forma geral os extra-virgens não devem ir ao fogo, o forte ou fraco vai depender da azeitona que é usada na sua produção ou da sua mistura, agora gostoso, é muito pessoal, cada pessoa tem uma preferência e não dá pra dizer esse é mais gostoso do que aquele sem que se inicie uma polêmica.

  • Anna disse:

    Eu utilizo este azeite e jogo alho ou pimenta etc..para aromatizar deixo um tempo.
    Faço macarão al dente , corto quadradinhos de queijo light, tomate italiano, manjericão e aí jogo o azeite extra virgen que está aromatizado por cima.
    Assim utilizei o azeite extra virgem com um sabor, isto não estraga o azeite ou melhor usar outro azeite que não seja extra virgem?
    Beijos

  • Ronaldo Rossi disse:

    pode usar, não tem problema nenhum, a perda de qualidade é por conta da oxidação, depois de aberto ele começa a perder um pouco de qualidade, fica uma dica que outro dia eu posto em mais detalhes, coloca em uma panela o azeite o que mais vc quiser que dê gosto a ele, pimenta ou ervas, por exemplo, deixe no fogo baixo até que comece a cheirar, exalar o cheiro bom do azeite e das ervas, ai vc deixa esfriar e utiliza, prova e depois me conta.

  • tulio disse:

    O que acontece se eu levar o azeite ao fogo?
    Perde nutrientes?
    ele se transforma em oleo normal?
    qal mais prejudicial oleo ou azeite ao fogo?
    troquei oleo de girassol por azeite de oliva extra 0,5% Borges
    queria q me passase a detalhes desse procedimentos..obrigado

  • Mari disse:

    Gostaria de saber se há algum tipo de óleo mais recomendado para fazer frituras. Por favor preciso obter mais orientações nesse sentido (com relação a utilização de óleos).

  • fausta giurizatto disse:

    gostaria de saber qual o melhor azeite para consumo diario, e que será melhor em questao para abaixar o colesterol,sei que deve ser os de acidez menor, mas qual a marca que vc como profissional me indicaria.

    obrigada.

    • Ronaldo Rossi disse:

      oi Fausta
      eu não vou fazer propaganda gratuita de ninguém, mas posso te dizer que os azeites árabes e gregos são os que mais agradam o meu paladar, isso é só gosto pessoal, prove e escolha, conheço até colecionadores de azeite, pessoas que sempre compram novidades e pedem para quem quer que vá viajar
      boa sorte na escolha

  • Renato disse:

    Olá,
    esperimentei um azeite chileno chamado de azeite de oliva sabor intenso, é muito bomo e todos que esperimentam se apaixonam, tem coloração escura e acidez 1,4%. Gostaria de saber o quanto a acidez influencia na qualidade do azeite, o sabor intenso é devido a qualidade da azeitona?
    Obrigado

  • Danielly disse:

    Olá td bem ! Estou com algumas dúvidas sobre azeites , tomo contade uma seção e as vezes não dou conta de expecificar algumas marcas … espero que possa me ajudar .

  • Milton de Castro disse:

    Ronaldo,
    Há alguns anos venho observando que os azeites de oliva (sejam portugueses, espanhóis, gregos) não tem mais aquele cheiro forte característico. Tenho comprado as mais variadas marcas e sempre encontro o sabor do azeite de oliva misturado com óleo de soja.
    No entanto, estive no sul do Perú (em Nazca) e experimentei o azeite de oliva Las Reinas Premium. Achei-o fantástico, do jeito intenso que gosto.
    Em seguida, estive no Chile (Santiago) e experimentei o azeite de oliva Bezma, do Valle do Azapa (norte do Chile, quase divisa com o Perú). Também achei-o excepcional, pelo sabor intenso que possui.
    Onde posso encontrar azeites de oliva do sul do Perú ou do Norte do Chile, que possuam sabor intenso?
    Grato pela atenção.

  • Joao Rilton disse:

    Oi Ronaldo!
    Compro sempre um azeite chamado Paesano (Siciliano) que nao e filtrado.
    Vc pode me dizer qual a vantagem, se e que ha, do azeite nao filtrado?
    Muito obrigado, parabens pela iniciativa.
    Abarco

    • Ronaldo Rossi disse:

      fala João
      td o que vc não filtra fica mais próximo do original
      nesse caso é uma questão de gosto mais ou menos intenso, não tem nada a ver com mais ou menos qualidade só a questão do gosto pessoal mesmo
      abração

    • Ronaldo Rossi disse:

      olha Alexandre
      o que acontece com qq elemento não filtrado é que ele fica com os sabores mais intensos e mais “brutos”
      não me lembro de ter pego um azeite que trazia estampado no rótulo que era não filtrado
      posso até ter usado já sem atentar para esse detalhe
      onde vc viu?

  • Rubem Bittencourt Leite disse:

    Fritei 700gr de filé de salmão temperado por quatro minutos com azeite de oliva extra virgem, depois o comi. Isso pode fazer algum mal à saúde?

  • Marcus Canesqui disse:

    Boa noite!

    Tenho usado ja há algum tempo azeite extra virgem no dia-dia. Vc acha q por exemplo refogar o arroz usar azeite ou outro óleo? E se posso fritar um filé no azeite sem culpa?

    Obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Seja bem vindo
chef ronaldo rossi
um pouco de twitter